Aos pais e ou encarregados de educação (Creche)

 

Atendendo à ameaça da saúde pública internacional causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, classificada pela Organização Mundial de Saúde como pandemia, o Governo aprovou, em março, um conjunto de medidas excepcionais e temporárias relativas à situação epidemiológica da doença COVID-19.  De entre as quais foi determinada a suspensão das respostas sociais de apoio à primeira infância.

 

No momento atual, e por determinação do Estado Português, está em curso um plano de desconfinamento, o qual prevê a reabertura da resposta social de creche, a partir do dia 18 de maio.

Tendo consciência das dúvidas e inquietações de todas(os) vós, cabe-nos dizer que estamos a proceder à reorganização e adaptação do espaço e modo de funcionamento, na medida do possível, de modo a garantir as condições de segurança e higienização necessárias. Relembrando que esta situação exige de todos compreensão e reajustes dia a dia, sem esquecer que a creche é um sítio para brincar. Por isso, vamos dar este passo juntos!

E para que esta reabertura decorra de modo seguro para as crianças, profissionais e respetivas famílias, solicitamos que sejam observadas as novas normas de conduta do espaço e medidas de prevenção e controlo da transmissão da COVID-19, que a seguir identificamos:

   Horário de funcionamento

  • Sempre que possível será flexibilizado adequando-se às necessidades dos pais ou encarregados de educação;

  • A criança deve permanecer na creche o tempo estritamente necessário ao desenvolvimento das atividades profissionais dos pais e não mais que isso.

 

   Procedimentos prévios à reabertura da Creche

  • Assegurar a limpeza geral das instalações;

  • Assegurar a desinfeção geral das instalações de acordo com as orientações de Direção Geral da Saúde;

  • Assegurar a desinfeção geral do espaço envolve às instalações, designadamente os espaços exteriores para realização de atividades;

  • Testagem de rastreio à COVID-19 a todos os profissionais que poderão estar em contacto com as crianças;

  • Proceder à sinalização visível dos espaços: espaço sujo e espaço limpo, delimitando as respectivas áreas com a fita amarela/preta.

 

   Organização Geral

  • Organização de escalas de serviço para os profissionais (funcionamento em equipas espelho), de modo a evitar o cruzamento de pessoas na instituição;

  • Organização de equipas de substituição;

  • Definir circuitos de entrada e saída para os profissionais, de modo desfasado, para evitar o cruzamento de grupos de pessoas que não sejam da mesma sala;

  • As crianças e profissionais são organizadas em salas fixas (a cada profissional(ais) corresponde apenas um grupo e os espaços definidos em função deste seccionamento;

  • O acesso à sala será limitado apenas ao pessoal afeto à mesma;

  • Todas as superfícies serão higienizadas e desinfetadas pelo menos 2xs/dia com solução alcoólica ou gel. Ter-se-á em especial atenção, maçanetas e puxadores de portas, autoclismos e outros manuseados com muita frequência;

  • Garantir que as salas sejam ventiladas e arejadas, sempre que possível (pelo menos 6xs/hora);

  • Privilegiar a realização de atividades ao ar livre;

  • Está desaconselhado o uso de equipamento de ar condicionado e nunca ligar em modo de recirculação de ar;

  • Em todas as instalações sanitárias e bancadas haverá suportes para papel e dispensadores de desinfetante controlados pelos profissionais de cada sala;

  • Garantir o material individual necessário para cada criança;

  • Remover da sala todos os acessórios não essenciais para as atividades lúdico-pedagógicas, reforçando a limpeza e desinfecção em todos os outros;

  • Deve ser maximizado o distanciamento físico entre as crianças quando estão em mesas, berços ou espreguiçadeiras, garantindo o cumprimento da distância de 1,5-2 metros;

  • Cada criança utilizará sempre o mesmo catre;

  • Durante a sesta das crianças, os catres serão colocados de forma a assegurar o máximo de distanciamento físico possível (de preferência a 2 metros), mantendo as posições dos pés e das cabeças das crianças alternados, cobertos com lençóis pertencentes à instituição e que serão substituídos diariamente. Os catres serão desinfetados após cada utilização.

  • Haverá poucos brinquedos na sala de forma a poderem ser substituídos e higienizados diariamente.

  • Na sala de berçário as espreguiçadeiras a utilizar serão da pertença de cada utente e desinfetadas diariamente.

 

   Acesso às Instalações

  • As crianças devem ser entregues e recolhidas apenas à porta da instituição;

  • Os pais ou encarregados de educação não entrarão nas instalações do Centro Cultural e não devem acionar o mecanismo automático de abertura da porta ou a campainha;

  • A porta ser-lhe-á aberta por um dos colaboradores da instituição. Para o efeito, será desejável definir antecipadamente o respetivo horário;

  • A criança deve ser entregue e recolhida pela mesma pessoa diariamente, sempre que possível;

  • No acolhimento estará presente uma colaboradora destacada para o efeito e que efetua aos procedimentos de higienização da criança;

  • Os sapatos que as crianças trazem do exterior serão retirados pela Auxiliar de Educação, em área convencionada para o efeito - zona suja, e entregues aos pais que deverão trazê-los quando vierem buscar os seus educandos. O profissional destacado calçará a todas as crianças croques, que deverão ser adquiridas pelos pais para esse efeito e que ficarão na Instituição onde serão higienizadas diariamente (este procedimento não se aplica às crianças de Berçário);

  • Aquando da entrada, a mesma profissional avalia a temperatura da criança, a fim de verificar se esta manifesta indícios de febre. Se a medição (com termómetro de infravermelhos) registar valor positivo para temperatura acima de 37,5 graus Celsius considera-se que a criança tem febre e não poderá ficar na instituição.

 

   Espaços e normas de prevenção de risco de           contaminação

  • Garantir a utilização de máscaras cirúrgicas por parte dos colaboradores (e, quando necessário, luvas ou outro equipamento). Os profissionais que desempenham funções nos espaços de utilização da creche usam socas para uso exclusivo dentro da instituição e procedem à muda de vestuário;

  • Reforçar a lavagem e desinfeção frequente de mãos por parte de todos os profissionais e verificar o cumprimento rigoroso das regras de etiqueta respiratória, por parte dos mesmos;

  • A roupa terá de ir para casa em saco plástico fechado;

  • Deve ser realizada a adequada descontaminação das superfícies utilizadas entre trocas de grupo (mesas, cadeiras de papa, entre outros);

  • A criança não deverá ser portadora de mochila. Em seu lugar deverá trazer um saco de pano contendo 2 (duas) mudas de roupa lavada, fraldas, toalhitas, pomada dérmica e outros produtos que sejam solicitados;

  • Não poderão trazer brinquedos de casa.

 

   Refeições

  • Na hora da refeição serão tomados os devidos cuidados para que as crianças tomem as suas refeições em cadeiras e lugares à mesa devidamente identificados e respeitando as regras de distanciamento social;

  • Antes e depois das refeições, as crianças devem ser levadas a lavar e desinfetar as mãos e ajudadas para a sua realização de forma correta;

  • A deslocação para a sala de refeições, será desfasada para diminuir o cruzamento de crianças, ou em alternativa considerar fazer as refeições na sala de atividades;

 

   Cuidados genéricos nas rotinas com as                   crianças

  • Evitar tocar na face, olhos ou boca da criança sem ter as mãos higienizadas;

  • Limpar o nariz da criança com o lenço descartável que é colocado em contentor do lixo tapado;

  • Trocar de roupa, sempre que necessário, perante a existência de secreções, procedimento que terá de ser acompanhado de posterior lavagem de mãos.

 

   Utilização da casa de banho e mudança de             fralda

  • As mãos das crianças terão de ser devidamente higienizadas, após mudança de fraldas ou utilização das instalações sanitárias e sempre que aparentam estar sujas;

  • A mudança de fraldas será realizada com a regularidade habitual, sendo estas descartadas para contentor adequado para o efeito. A bancada será desinfetada a cada utilização;

  • As idas à casa de banho devem ser, no máximo, de 2 crianças de cada vez;

  • A limpeza e desinfeção das sanitas, interruptores e torneiras será feita frequentemente.

  

   Atividades pedagógicas, lúdicas e de                       motricidade

  • Até ao final do presente ano letivo não se realizarão atividades extracurriculares;

  • As atividades serão desenvolvidas, sempre que possível, em pequenos grupos e em salas separadas;

  • Assegurar, sempre que possível, que as crianças não partilhem objetos ou que os mesmos são devidamente desinfetados entre utilizações.

   Atuação perante um caso suspeito

  • Perante a identificação de um caso suspeito (sintomas ou sinais compatíveis com a infeção da COVID-19, designadamente febre, tosse, dificuldade respiratória), a criança deverá ser encaminhada pela Auxiliar de Educação respetiva, para a sala de isolamento;

  • Os pais ou encarregados de educação do caso suspeito devem ser contactados de imediato;

  • A Diretora Técnica estabelece contacto com o SNS 24 (808 24 24 24) e segue as indicações facultadas.

Logotipo CCBSJOQ_COVID-19.png

Aos pais e ou encarregados de educação (Pré-escolar)

 

Atendendo à ameaça da saúde pública internacional causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, classificada pela Organização Mundial de Saúde como pandemia, o Governo aprovou, em março, um conjunto de medidas excepcionais e temporárias relativas à situação epidemiológica da doença COVID-19.  De entre as quais foi determinada a suspensão das respostas sociais de apoio à primeira infância.

 

No momento atual, e por determinação do Estado Português, está em curso um plano de desconfinamento, o qual prevê a reabertura da resposta social de pré-escolar, a partir do dia 01 de junho.

Tendo consciência das dúvidas e inquietações de todas(os) vós, cabe-nos dizer que estamos a proceder à reorganização e adaptação do espaço e modo de funcionamento, na medida do possível, de modo a garantir as condições de segurança e higienização necessárias. Relembrando que esta situação exige de todos compreensão e reajustes dia a dia, sem esquecer que o pré-escolar é um sítio para brincar e sobretudo ter em conta as aprendizagens e o desenvolvimento das crianças. Por isso, vamos dar este passo juntos!

E para que esta reabertura decorra de modo seguro para as crianças, profissionais e respetivas famílias, solicitamos que sejam observadas as novas normas de conduta, do espaço e medidas de prevenção e controlo da transmissão da COVID-19, que a seguir identificamos:

  Horário de funcionamento

  • Sempre que possível será flexibilizado adequando-se às necessidades dos pais ou encarregados de educação;

  • A criança deve permanecer no estabelecimento de educação o tempo estritamente necessário ao desenvolvimento das atividades profissionais dos pais e não mais que isso.

  • Será solicitado a todos os encarregados de educação que informem a instituição do horário de entrada e saída da criança.

 

  Procedimentos prévios à reabertura de pré-escolar

  • Assegurar a limpeza geral das instalações;

  • Assegurar a desinfeção geral das instalações de acordo com as orientações de Direção Geral da Saúde;

  • Assegurar a desinfeção geral do espaço envolve às instalações, designadamente os espaços exteriores para realização de atividades;

  • Testagem de rastreio à COVID-19 a todos os profissionais que poderão estar em contacto com as crianças;

  • Proceder à sinalização visível dos espaço espaço sujo e espaço limpo, delimitando as respectivas áreas com a fita vermelha..

 

 

Organização Geral

  • Organização de escalas de serviço para os profissionais (funcionamento em equipas espelho), de modo a evitar o cruzamento de pessoas na instituição;

  • Organização de equipas de substituição quando e sempre que possível.

  • Definir circuitos de entrada e saída para os profissionais, de modo desfasado, para evitar o cruzamento de grupos de pessoas que não sejam da mesma sala;

  • As crianças e profissionais são organizadas em salas fixas (a cada profissional(ais) corresponde apenas um grupo e os espaços definidos em função deste seccionamento);

  • O acesso à sala será limitado apenas ao pessoal afeto à mesma;

  • Todas as superfícies serão higienizadas e desinfetadas pelo menos 2xs/dia com solução alcoólica ou gel. Ter-se-á em especial atenção, maçanetas e puxadores de portas, autoclismos e outros manuseados com muita frequência;

  • Garantir que as salas sejam ventiladas e arejadas, sempre que possível (pelo menos 6xs/hora)e sempre que possível manter as janelas e/ou portas das salas abertas.

  • Privilegiar a realização de atividades ao ar livre, em grupos rotativos, ou seja na organização da rotina diária, procurar desfasar os momentos de permanência dos diferentes grupos de crianças no recreio.Os equipamentos serão higienizados após a utilização de cada grupo;

  • Devem evitar-se concentrações nas idas à casa de banho de forma a facilitar o apoio dos colaboradores na higienização da criança;

  • Em todas as instalações sanitárias haverá suportes para papel e dispensadores de desinfetante controlados pelos profissionais de cada sala;

  • Garantir o material individual necessário para cada criança;

  • Remover da sala todos os acessórios não essenciais para as atividades lúdico-pedagógicas, reforçando a limpeza e desinfeção em todos os outros;

  • Deve ser maximizado o distanciamento físico entre as crianças quando estão em mesas,garantindo o cumprimento da distância de 1,5-2 metros sem comprometer o normal funcionamento das atividades pedagógicas;

  • Haverá poucos brinquedos na sala de forma a poderem ser substituídos e higienizados diariamente;

  • Todos os espaços que não sejam necessários ao bom funcionamento das atividades devem estar encerrados. Esta medida não se aplica à sala de refeições;

  • Pedir aos encarregados de educação que não deixem as crianças levar de casa  objetos não necessários.

 

   Acesso às Instalações

  • As crianças devem ser entregues e recolhidas apenas à porta da instituição. Os pais/encarregados de educação que entregam a criança deverão ser portadores de máscara e respeitar o distanciamento físico, caso haja fila na entrada.

  • Os pais ou encarregados de educação não entrarão nas instalações do Centro Cultural e não devem acionar o mecanismo automático de abertura da porta ou a campainha;

  • A porta ser-lhe-á aberta por um dos colaboradores da instituição. Para o efeito, será desejável definir antecipadamente o respetivo horário;

  • A criança deve ser entregue e recolhida pela mesma pessoa diariamente, sempre que possível;

  • No acolhimento estará presente uma colaboradora destacada para o efeito e que efetua os procedimentos de higienização da criança;

  • Os sapatos que as crianças trazem do exterior serão retirados pela Auxiliar de Educação, em área convencionada para o efeito - zona suja, e entregues aos pais que deverão trazê-los quando vierem buscar os seus educandos. O profissional destacado calçará a todas as crianças, croques que deverão ser adquiridas pelos pais para esse efeito e que ficarão na Instituição onde serão higienizadas diariamente .

  • Aquando da entrada, a mesma profissional avalia a temperatura da criança, a fim de verificar se esta manifesta indícios de febre. Se a medição (com termómetro de infravermelhos) registar valor positivo para temperatura acima de 37,5 graus Celsius considera-se que a criança tem febre e não poderá ficar na instituição.

 

   Espaços e normas de prevenção de risco de contaminação

  • Garantir a utilização de máscaras cirúrgicas por parte dos colaboradores (e, quando necessário, luvas ou outro equipamento). Os profissionais que desempenham funções no pré-escolar serão portadores de socas para uso exclusivo dentro da instituição e procedem à mudança de vestuário;

  • Reforçar a lavagem e desinfeção frequente de mãos por parte de todos os profissionais e verificar o cumprimento rigoroso das regras de etiqueta respiratória, por parte dos mesmos;

  • A roupa deverá ir  para casa em saco plástico fechado;

  • Deve ser realizada a adequada descontaminação das superfícies utilizadas entre trocas de grupo (mesas e cadeiras entre outros);

  • A criança não deverá ser portadora de mochila. Em seu lugar deverá trazer um saco de pano contendo 2 (duas) mudas de roupa lavada (uma para ser trocada antes de entrar na sala e outra para o caso de ser necessário);1(uma) garrafa de água,escova de dentes e escova de cabelo  e outros produtos que sejam solicitados e de preferência identificados.

  • Não poderão trazer brinquedos de casa.

 

   Refeições

  • Na hora da refeição serão tomados os devidos cuidados para que as crianças tomem as suas refeições em cadeiras e lugares à mesa devidamente identificados e respeitando as regras de distanciamento social;

  • Antes e depois das refeições, as crianças devem ser levadas a lavar e desinfetar as mãos e ajudadas para a sua realização de forma correta;

  • A deslocação para a sala de refeições, será desfasada para diminuir o cruzamento de crianças, ou em alternativa considerar fazer as refeições na sala de atividades;

  • Deve ser realizada, entre trocas de turno, a adequada limpeza e desinfeção das superfícies utilizadas;

  • Na sala de refeição, todos os funcionários terão que utilizar máscara e touca, enquanto acompanham as crianças.

 

   Cuidados genéricos nas rotinas com as crianças

  • Evitar tocar na face, olhos ou boca da criança sem ter as mãos higienizadas;

  • Limpar o nariz da criança com o lenço descartável que é colocado em contentor do lixo tapado;

  • Trocar de roupa, sempre que necessário, perante a existência de secreções, procedimento que terá de ser acompanhado de posterior lavagem de mãos;

   

Utilização da casa de banho

 

  • As mãos das crianças terão de ser devidamente higienizadas, antes e depois das refeições, depois de utilização das instalações sanitárias,após brincadeiras de exterior e sempre que aparentam estar sujas;

  • As idas à casa de banho devem ser, no máximo, de 2 crianças de cada vez;

  • A limpeza e desinfeção das sanitas, interruptores e torneiras será feita frequentemente.

  

 Atividades pedagógicas, lúdicas e de motricidade

  • Até ao final do presente ano letivo não se realizarão atividades extracurriculares;

  • As atividades serão desenvolvidas, sempre que possível, em pequenos grupos e em salas separadas;

  • Assegurar, sempre que possível, que as crianças não partilhem objetos ou que os mesmos são devidamente desinfetados entre utilizações;

  • Pese embora as regras atuais de distanciamento físico, importa não perder de vista a importância das aprendizagens e do desenvolvimento das crianças e a garantia do seu direito de brincar;

  • É também essencial considerar que as interações e relações mantidas com os adultos e outras crianças são a base para a sua aprendizagem e desenvolvimento;

  • Dar a conhecer às crianças as novas regras de convivência social. Prestar atenção às suas dúvidas e angústias;

  • Conversar com as crianças acerca das alterações das suas rotinas e ouvir as suas opiniões e sugestões;

  • Realizar o registo das novas regras de segurança e com as crianças elaborar cartazes,panfletos,etc;

  • Privilegiar, sempre que possível, o contacto com as famílias à entrada da instituição, mantendo o distanciamento físico recomendado, de modo a possibilitar que a articulação possa ser veiculada regularmente.

  • A par deste contacto de “proximidade”, e de modo a não comprometer as medidas de distanciamento social, procurar-se-á estabelecer contactos telefónicos regulares com as famílias e dinamizar momentos de partilha instituição/família através de meios digitais,

​​

   Atuação perante um caso suspeito

  • Perante a identificação de um caso suspeito (sintomas ou sinais compatíveis com a infeção da COVID-19, designadamente febre, tosse, dificuldade respiratória), a criança deverá ser encaminhada pela Auxiliar de Educação respetiva, para a sala de isolamento aí permanecer com ela;

  • Os pais ou encarregados de educação do caso suspeito devem ser contactados de imediato;

  • A Diretora Técnica estabelece contacto com o SNS 24 (808 24 24 24) e segue as indicações facultadas.

Logotipo CCBSJOQ_COVID-19.png